Home / Destinos e Viagens / Destinos Internacionais / América do Sul / Patagônia: A Fronteira inexplorada da América do Sul

Patagônia: A Fronteira inexplorada da América do Sul

Vulcão Osorno

Os picos nevados milenares dos Andes, possuem espetáculos naturais de tirar o fôlego de qualquer um. Desde montanhas majestosas a vulcões adormecidos e imponentes, lagos esmeraldas e corredeiras poderosas até picos gigantescos dos guardiões rochosos do “Sul do Mundo”. A Patagônia permanece como um lugar desafiador, a fronteira mais inexplorada da América do Sul.

 

Uma extraordinária experiência

 

 

Lago Pehoe and Cuernos del Paine. Paine National Park. Patagonia
Lago Pehoe e Cuernos del Paine. Parque Nacional de Paine. Patagonia.
Fonte: National Geographic

Escalar as gigantescas montanhas da Patagônia é uma das mais extraordinárias experiências que o ser humano pode contemplar. A recompensa está reservada para aqueles dispostos a abraçar os imensos desafios que se encontram envolvidos na jornada. Sir Isaac Newton disse há muitos anos atrás, que aqueles que buscam o entendimento devem ver sempre além de seus próprios horizontes. este ditado é usado pelos intrépidos escaladores, quando se referem a ver muito além dos horizontes! “Aqueles que querem ver além de seus horizontes, devem escalar um gigante de pedra e gelo!” Com certeza, escalar uma gigantesca montanha coberta de gelo, não é uma tarefa fácil nem mesmo para escaladores profissionais, mas imagine a recompensa visual que uma escalada como esta é capaz de proporcionar aos mais ousados!

O post desta semana irá mostrar alguns dos gigantes de pedra e gelo que encontramos na Patagônia, a maioria deles muito acima dos 2 mil metros de altitude e algumas fotos e vídeos impressionantes que muitos destes intrépidos aventureiros trouxeram à tona! Vamos conhecer?

 

Os 5 Gigantes da Patagônia

 

 

Cerros del Paine Fonte: National Geographic expeditions
Cerros del Paine
Fonte: National Geographic Expeditions

Os gigantes da Patagônia vem há muito tempo atraindo a atenção de pessoas do mundo inteiro, seja para apenas contemplar, seja para escalar ou seja para desafiar os limites do tempo e da coragem e tentar atingir os impiedosos cumes acima dos 3000 metros.  Neste post vamos mostrar a impressionante beleza dos 5 maiores e mais importantes colossos de pedra e gelo da Patagônia. O Monte San Valentin, que domina os horizontes da Patagônia; San Lorenzo, que se ergue entre a pradaria e o gelo; El Chalten ou Fitz Roy, um gigante monolítico mítico e intransponível que tem desafiado escaladores do mundo todo; Paine Grande, que encanta o Parque nacional dos Cerros de Paine, um lugar fantástico que os visitantes nunca esquecem e finalmente o traiçoeiro Monte Sarmiento, escondido numa remota área da Terra do Fogo.

 

Monte San Valentin

 

Monte San Valentin.
Monte San Valentin. Um dos mais misteriosos da Patagônia.
Photo by Juan Mena Letelier

Quem o contempla à distância nem imagina que por trás de tanta beleza se esconde um dos lugares mais inóspitos e desconhecidos da Patagônia. Uma aura de mistério circunda o Monte San Valentin, o mais alto ponto de toda a região da Patagônia.  Ele carrega consigo o título de majestoso e  inexplorado. De fato esta gigantesca montanha ainda guarda segredos que poucos foram capazes de desvendar e acessos ainda não descobertos e paredões ainda não escalados. Desta forma é um dos mais atrativos pontos de escalada de toda a Patagônia.

Fica localizado no Parque Nacional da laguna de San Rafael, um lugar espetacular em meio às formações geladas desta região. Segundo os especialistas, para se atingir o cume, que se ergue a cerca de 4020 metros, são necessários pelo menos 30 dias, de preparação e trabalhos duríssimos. Não apenas devido ás condições atmosféricas e à grande altitude, mas também devido à necessidade de uma logística PERFEITA. Ela não pode ser apenas boa, ela tem que ser perfeita! Onde parar, onde abastecer, onde subir e outros tantos fatores.

 

Glaciar San Rafael
Glaciar San Rafael.
Gelo milenar na Patagônia. Uma experiência para nervos de aço!

A primeira subida ao topo ocorreu em 1952 pelo Argentino Dinko Bertoncelj e sua equipe. Pelo mapa abaixo se pode imaginar a dificuldade, pois ela já começa no acesso ao Parque Nacional. O Glaciar que envolve o lugar é um dos mais altos do mundo e possui cerca de 3900 mts e permite estudos acurados de paleo-climatologia.

 

Quer conhecer um pouco mais deste lugar extremo? Este vídeo da subida da equipe de Pablo Besser a chamada “EXPEDICION MONTE SAN VALENTIN, HIELO PATAGONICO NORTE” que ocorreu em Novembro de 2011 é ainda hoje uma das mais comentadas escaladas da história. Os alpinistas disseram que atingiram o cume, aos 4020 metros de altitude, ao final da tarde em meio a uma tempestade que vinha os ameaçando desde o começo do dia e arriscando ficarem presos no gelo milenar! Nervos de aço! O vídeo é longo mas as imagens são de tirar o fôlego!

 

Monte San Lorenzo

 

Monte San Lorenzo, um gigante de gelo e Rochas milenares na Patagônia.
Monte San Lorenzo, um gigante de gelo e Rochas milenares na Patagônia.fonte: http://www.summitpost.org/

É uma montanha imponente, uma massa gigantesca de gelo e rochas milenares que se ergue ao leste dos Andes da Patagônia. Este monte solitário se divide entre a umidade glacial do Chile e a aridez dos Pampas Argentinos. Seu pico quase sempre se encontra coberto de nuvens o que dificulta muito a escalada. Embora atraia escaladores de todo o mundo, este colosso patagônico possui uma história de muito poucas escaladas. Seu cume só foi atingido recentemente, por mais uma vez a equipe do Chileno Pablo Besser. É considerado muito hostil e requer extremos cuidados. Tem 3706 metros de altitude e é o segundo mais alto da Patagônia.

Monte Fitz Roy

 

Fitz Roy
O espetacular Monte Fitz Roy. Uma fortaleza de gelo e pedra.
Fonte: National geographic

 

O Monte Fitz Roy, também chamado Chaltén, nome dado pelos indígenas Telhueches, é considerado uma fortaleza de pedra. O imponente colosso de pedra apresenta espirais e diversas torres que compõem este monumental gigante de granito. Sua aparência de pirâmide repousa sobre glaciares milenares e é um dos ícones da Patagônia. É um dos mais conhecidos e já foi escalado por diversas áreas, apesar de sua aura de impenetrável. O ponto de partida é a cidade que leva seu nome, El Chaltén, que fica a poucos quilômetros de distancia e é este um dos fatores que contribuíram para a sua popularidade e logística mais simples que os demais montes.  Mas não deixe esta aparente facilidade ser enganadora. Apesar de tudo isto, o Fitz Roy é ainda um monte de difícil ascenção seja qual for o caminho escolhido pelo alpinista, mesmo nas rotas mais fáceis e exige que apenas escaladores experientes o desafiem. Seu cume tem 3406 metros.

 

Fitz Roy visto da Argentina
Fitz Roy visto da Argentina.

Foto por: by Jonathan Daughtry

Este vídeo mostra a aventura de 2 brasileiros subindo o Fitz Roy. O vídeo é imperdível!

O nome Fitz Roy é dado em homenagem ao capitão Robert Fitz Roy, que comandou o Beagle, o navio onde Charles Darwin viajou pela Patagônia.  O nome indígena significa “montanha de fumaça”.  Este vídeo do Patagon Journal mostra um pouco do espetáculo visual que é a subida do Fitz Roy.

 

Monte Paine Grande

 

MTS trekker taking pictures below Torres del Paine. Paine Nation
Torres do Cerro de Paine. Veja as torres simétricas e a principal delas, o Paine Grance.
Fonte: National Geographic

Sem dúvida nenhuma, as torres do Cerro del Paine são as principais atrações do Parque Nacional que leva seu nome. São um dos 15 melhores lugares para se visitar no Chile. Seus paredões gigantescos atraem visitantes o ano inteiro, seja para apenas olhar ou até para chegar próximo de suas paredes de pedra e gelo. O espetacular monte possui quatro cumes perfeitamente alinhados em um eixo norte-sul e a torre principal é a verdadeira gema do grupo de montanhas. Na maior parte do tempo seus cume são tempestuosos e encobertos e muito poucos conseguem vê-lo em seu total esplendor.

Um dos montes mais bonitos da Patagônia foi escalado apenas 3 vezes por completo, em 1957, 2000 e 2011. Uma aventura difícil e perigosa, uma vez que o Paine Grande, como é chamado, não admite erros. A montanha possui uma inclinação impressionante aos 3000 metros e requer profissionalismo extremo, pois diversas técnicas de escalada são necessárias no percurso, além da habilidade de ler o clima, experiência em outros montes da Patagônia e coragem, muita coragem! Ele tem 3050 metros de altitude.

Ascender até o cume do Paine Grande no inverno é considerado por muitos um ato de insanidade, e seu grau de dificuldade é considerado superior ao do Monte Everest. Este vídeo curtinho feito pela equipe do Patagon Journal, vai mostrar para você a impressionante beleza natural dos Cerros de Paine.

 

O pessoal do Tô fora de Casa fez um vídeo legal sobre o Parque Nacional das Torres de Paine. Vamos assistir?

 

Monte Sarmiento

 

Monte Sarmiento
Monte Sarmiento
Parque Nacional Alberto de Agostini , Tierra del Fuego, Chile.Photo: Ralf Gantzhorn

O monte Sarmiento se ergue de forma abrupta entre as águas congelantes da Cordilheira Darwin na Terra do Fogo. É considerada pelos alpinistas como uma das montanhas mais bonitas da terra e que ainda apresenta caminhos inexplorados. Tem um formato de pirâmide e sua belíssima vista só é reservada aos mais afortunados, pois as viradas climáticas imprevisíveis da região muitas vezes o deixa entre as nuvens.

 

Escalando o Monte Sarmiento
Escalando o Monte Sarmiento
Photo: Ralf Gantzhorn

Foi escalado pela primeira vez em 1956, pelos italianos Clemente Maffei e Carlo Mauri como parte de uma expedição conduzida pelo padre Alberto Maria de Agostini. Seu cume tem 2.207 metros de altura e é uma das escaladas mais perigosas da Patagônia. Interessantemente, a segunda subida até o cume só ocorreu em 2013! E foi realizadas por um grupo Chileno liderado por Camilo Rada. Também foi a primeira a ocorrer no inverno.

 

A íngreme Cordilheira Sarmiento é um desafio para os mais bravos! Fonte: National Geographic
A íngreme Cordilheira Sarmiento é um desafio para os mais bravos!Fonte: National Geographic

A chegada é feita somente por barco, navegando através dos fiordes gélidos da Terra do Fogo. A maioria das tentativas fracassadas se devem exatamente em parte ao mal tempo nesta travessia. A travessia não é perigosa, mas não se sabe ao certo quanto tempo ela vai durar. Os afortunados pelo caminho irão encontrar Glaciares, Lobos, Baleias, Pinguins e maravilhosos bosques antes de encarar a difícil subida.

Veja abaixo o trailer do documentário “Extremo Sul”, uma aventura com participação de brasileiros. Só este trailer, curtinho de 2 minutos já vai te dar uma ideia de como o negócio é difícil!

 

 

3d postman with envelope and bag

Está gostando deste artigo? Faça como muitos outros leitores!

Seja um assinante Viagem e Arquitetura!

E receba atualizações, dicas e muita coisa legal para tornar ainda melhor sua próxima viagem!

É super simples e não leva nem 2 minutos!

Não fazemos spam! Odiamos isto também!
E você pode se descadastrar a qualquer momento!

O Vulcão Osorno

O gigantesco Vulcão Osorno, no Sul do Chile! 2690 metros de altitude.
O gigantesco Vulcão Osorno, no Sul do Chile! 2690 metros de altitude.

Muitos devem estar pensando que nunca vão fazer uma coisa destas! Escalar uma montanha de mais de 2 mil metros! Nunca! Olha, talvez as aventuras radicais que mostramos não sejam para todos, mas há uma que você com certeza poderá fazer se quiser! Nós fizemos!

Esta é uma aventura a não ser esquecida! Uma subida de 2690 metros acima do mar deslumbrante e acessível aos viajantes! Uma subida mais alta que o monte Sarmiento! Porém uma subida acessível para muitos! Se você gostou da adrenalina que escalar uma montanha te proporciona, experimente subir nas encostas perigosas de um vulcão adormecido.

Nós subimos o vulcão Osorno, que é um dos pontos mais altos da região sul do Chile, às portas da Patagônia e a experiência foi simplesmente inesquecível! Vamos contar ela todinha para vocês no próximo post!

Por enquanto deixo com vocês algumas imagens deste lugar de tirar o fôlego de qualquer um!

Vulcão Ososrono, Patagônia Chilena.
A subida é perigosa mas é factível! Mais de 2000 metros. Os avisos dizem: “Área de montanha. Suba por seu próprio risco.” Você subiria?

Não! As fotos não são montagens! O céu é de um azul impressionante mesmo, assim como a foto está mostrando! Tivemos muita sorte neste dia!

Acompanhe nossa subida ao Vulcão Osorno, o Gigante Adormecido do sul do Chile num próximo post!

 

Um grande abraço e até a próxima!

 

About Giovani da Costa

Giovani é médico. Junto com sua esposa criaram o blog Viagem e Arquitetura( viagemearquitetura.com.br) com uma proposta diferente do que há no mercado de blog de viagens. Trazer informações sobre Arquitetura e História relacionada aos destinos. Você pode encontrá-lo no Google+, Twitter e Facebook.

Check Also

alberobello

Alberobello, Itália. Um tesouro escondido que poucos conhecem!

Esta cidade da Itália, que poucos além dos próprios Italianos conhecem, é Patrimônio Mundial pela …

cancun-familia

O que fazer em Cancún: Dez coisas que você não pode perder!

Mesmo que você passe um mês em Cancún não faltarão atrações diferentes para você realizar …

bem-vindos-ao-nosso-canal

Seja muito bem vindo ao seu canal de Dicas de Viagem!

Olá viajantes! Nós temos o grande prazer de anunciar o início do nosso canal de …

Obrigado por ler nosso post! Você gostou? Qual a sua opinião sobre ele?